-->

28/01/2016

3/52 Isso, pra mim, não é diversão: BULLYING

Estava 4ª série, 2009. Eu tinha dez anos de idade. Tinha também um grupo de 4 amigas, que preferia nunca ter tido.

Uma das atividade da aula de Educação Física era criar uma coreografia e apresenta-la em grupo. Meu grupo era as quatro meninas e eu. Combinamos de ir de roupas parecidas: jeans e uma blusinha colorida.

O jeans de uma das meninas sumiu. Uma delas me acusou de roubo. Todas acreditaram nisso.

Agora não bastava não ter amigas, ser excluída. Tinham que apontar pra mim no recreio, em roda, e gritar "olha a vovozinha!", "quatro olhos!". Tinham que mandar bilhetes pro menino que eu gostava, me xingando, contando que a vovozinha gostava dele.

Eu não podia contar pra ninguém. Eu não podia avisar a professora, elas só falariam mais de mim! Avisar minha mãe? Jamais! Eu seria a bebê chorona, o bebê da mamãe.

Não quero ir pra escola, não quero sai de casa. Aqui ninguém me xinga. Não estou com vontade.

Me bater na saída? Mais xingamentos no fim da aula? Desculpe, estou com dor no estômago, preciso ir pra casa. Minha cabeça dói muito, preciso vomitar. Por favor, liguem pra minha mãe, preciso ir pra casa.

Limparam a casa, acharam o jeans atrás do sofá. "Desculpa, Isabel." "Ta tudo bem.". Por que não param de me chamar assim? Por que ainda me deixam sozinha? O que fiz agora?

Passaram-se seis meses. Chorei na sala, sem querer. Não consigo parar. Meu Deus, elas vão rir de mim. Por que não consigo engolir essa droga de choro???

"Professora, a Isabel ta chorando!"

"O que está acontecendo, Isabel?" Mais choros. Soluços. Não consigo contar direito, atrapalha o soluço. "Vá lavar o rosto. Vou falar com elas."

Na porta, parei. Muitos gritos da professora. "Peçam desculpa!". O sinal tocou e entrou a professora da matéria seguinte. "Desculpa, Isabel." "Foi mal." "Não queria fazer isso". "NÃO, EU NÃO DESCULPO!".

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
5ª série, 2010.
 
Entrada da escola. "Magrela, quatro olhos!". Muitas pessoas olharam pra trás, ao escutar, e me viram. Risadinhas. Corre pra sala.
 
Eu gostava de um menino. Espalharam pra todo mundo. "Ele não gosta de ti. Você é feia!". "Tu é nariguda.".
 
Por que aquela garota loira é tão popular? Ela é arrogante. Por que gostam tanto dela? Gostaria de ser bonita como ela.
 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
6ª série, 2011.
 
Rampa de subida para a sala. Esbarraram em mim. "Hey!" "Cala a boca, tucano.". Tinham, pelo menos, 5 turmas naquela rampa.
 
Não senta de lado, vão notar seu nariz. Não senta na fila do meio da sala. Não prende o cabelo. Não conversa com ninguém.
 
"Nariguda" e comparações como "Luciano Huck" eram constantes.
 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
7ª série, 2012.
 
Falei sobre bullying em uma apresentação de trabalho. Uma menina foi tentar falar sobre a experiência dela e chorou. 
 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
1º ano, 2014.
 
Recreio. Estava eu, o Rafael e várias pessoas ao redor. Ouvi uns cochichos. Estavam olhando pra mim, logo ali na frente. Eles viraram. "Furacão! Nariguda! Ha ha ha". Corri.
 
Chorei. Rafael não sabia o que tinha passado, até aquele dia.
 
Ía começar tudo outra vez? Pensei ter superado. Eu superei. Eles não vão ferrar outra vez.
 
Contei para algumas colegas, que perguntaram por que eu estava chorando. Me disseram inúmeros motivos de por que não ligar e de por que eles foram tão idiotas.
 
Solta o cabelo, senta na fila da parede.
 
Contei pro Rafael, tudo. "Não liga pra eles. São idiotas e falam de todos. Tu é linda do jeito que é. Nunca notei nada de estranho em ti. Não tem que fazer cirurgia para agradar ninguém além de você mesma."
 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
É divertido caçoar dos outros até o momento que você é caçoado.

Para você que sofre bullying:
  • Você não vai ser o bebezão se contar para seus pais.
  • Ninguém vai pegar no seu pé por contar a diretora.
  • A diretora pode até não fazer nada, mas a polícia sim.
  • PEDE AJUDA, que não é vergonha nenhuma.
  • Não deixe barato. Defenda-se. Não abaixe a cabeça. Nenhum momento.
 
Por favor, fale. Não guarde isso para você. Isso te afeta pro resto da vida. Conte e acabe com isso de uma vez.


Para você que quer superar o bullying:
  • Ame-se acima de qualquer comentário idiota.
  • Procure fazer algo, não contra aqueles que te zoam, e sim algo a seu favor. Mostre que você é superior.
  • Converse com outra pessoa que já passou por isso. Você terá alguém que te ajudará, sabendo perfeitamente como você se sente.
Grande parte da minha superação foi por conta da minha irmã, que também passou por isso.
 
Sei que, mesmo difícil, ou por mais demorado que seja, vocês vão superar. Força!


4 comentários:

  1. Gostei muito do post , com certeza ajudara muitas pessoas , ~abraçando

    ResponderExcluir
  2. Amei Bel!!! Hoje aprendi que independente do jeito que você é, sempre vai ser julgada por alguém! E hoje tenho orgulho de dizer, que EU SUPEREI! ♥

    ResponderExcluir
  3. Amei Bel!!! Hoje aprendi que independente do jeito que você é, sempre vai ser julgada por alguém! E hoje tenho orgulho de dizer, que EU SUPEREI! ♥

    ResponderExcluir
  4. Muito bom Bel!!!!! Depois de tanto sofrimento, depois de tantos choros entre outras coisas, eu posso dizer *EU SUPEREI*

    ResponderExcluir